domingo, 20 de setembro de 2009

(POEMA DE GRITAR PELOS BECOS)

O TEMPO
PREPARA SEUS VERBOS
NA SOLUÇÃO DA ESPERA

DO QUE CAMINHA
QUANDO O SOL PERDE
SEU HORIZONTE SANHAUÁ

TECENDO AOS POUCOS
O INSTANTE QUE NÃO PASSA
EM OUTRO QUE NUNCA CHEGA

COMO UMA
SAUDADE QUE PULSA

CINZENTA & NÍTIDA




Poema de Lau Siqueira, desenho de Luyse Costa

Aceitamos sugestões de temas para desenvolvermos nos próximos posts. Esta foi enviada por Ana Priscila Clemente.

6 comentários:

Criativosa disse...

Lindo!
No Poesia é risco acho q vcs se arriscam lindamente. Bjos =]

PATATIVA MOOG disse...

Vim, li, gostei...
=D

... volto depois.

(P.)

susannah disse...

O que é o tempo senão essa matéria impura tecida com a memória? Esse tempo é a nossa miséria ou o nosso salto para um contratempo...

Bjs!

Erica Maria disse...

o tempo bom, o tempo "mau"..?

o tempo que faz a gente conhecer gente maravilhosa...

Bruno. disse...

Tempo... Mano velho? Sim! Maior aliado não há!
Ah, esse tempo...

Moama disse...

É o tempo da saudade que nos (des)espera...

Nossos sábados, agora, tem sido acordados pela expectativa dos versos/rabiscos do poesia é risco...

...e o poesia é risco é mesmo isso: beleza posta à mesa da alma da gente para fazer do encanto alimento certo dos fds. =)